Pesquisar este blog

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

AMOR DE NOVELA

Amor de Novela

Lá estava eu fazendo minha caminhada diária, quando me deparei com um casal brigando feio numa das alamedas onde estava andando. Os gritos e as lágrimas assustaram até os gansos que estavam na beira do lago. Pensa que é exagero? Não é não! A briga era feia mesmo! Imagine-se na minha situação: eu caminho e não corro, mas tive vontade até de fingir que estava treinando para São Silvestre, e sair de lá rapidinho, mas mesmo que quisesse meus quilinhos a mais não iam me permitir.
O pior era que o casal nem se incomodou com a minha presença, e por mais que apressasse os passos não pude deixar de ouvir o que estavam dizendo. Pelo jeito do rapaz, o relacionamento já era, pelo jeito da moça, a aliança da mão direita já iria passar bem depressa, para a mão esquerda, mas o que mais me impressionou foi a maneira que ela implorava para ele continuar.
Passei por eles depressa, mas a cena ficou na minha cabeça pelo resto do dia, e fiquei me questionando o que fazia alguém implorar o amor de uma pessoa daquela forma. Isto me fez voltar no tempo e descobrir porque aquela cena tinha me impressionado tanto. Me fez lembrar que um dia eu também tinha me prestado a fazer aquele papel. Tive vergonha de mim mesma, mas hoje assumo isto.
E vocês, sejam honestos: algum dia na vida já tiveram esta experiência? Espero que não, mas cuidado: sempre poderá acontecer um dia.
E é por isso que tive vontade de escrever. Porque será que nós, seres humanos, nos prestamos a viver este tipo de amor de novela? Muitos podem pensar que só mulheres se prestam a isso, mas particularmente conheço alguns homens que já tiveram até vontade de se cortar os pulsos. Tudo bem que nós mulheres somos emocionais, que os homens são racionais, que as mulheres fazem amor, e os homens sexo. Até aí não é novidade nenhuma, apesar de achar que as coisas estão mudando, mas os questionamentos ainda são muitos, e as respostas bem poucas.
Talvez o melhor fosse falar; depois de pagarmos tamanho mico,quem vai querer sair por aí e confessar que um dia acreditou que entregou todo seu poder para outra pessoa. Quantas pessoas me procuram dizendo que tem que lutar pelo amor de fulano(a) ou de siclano(a) e daí eu pergunto: Porque você tem que lutar? E sabe qual é a resposta: Ele (a) está confuso, ainda não sabe que me ama, da mesma forma que eu o amo. Mas que loucura minha gente! Como? Como pode ser que alguém não saiba dos próprios sentimentos? Como alguém não sabe o que sente quando beija,quando abraça, quando transa? Todos sabem a diferença de fazer amor e transar. Porque nos iludirmos dessa maneira e vivermos de sonhos e ilusões, se no fundo o que queremos é camuflar nossa própria baixa estima? Nós necessitamos viver esta estória porque é melhor isto do que nada. Muitas vezes nem amamos, amamos o sentimento. É o amor, a forma de amar que queremos. Precisamos viver a fantasia para espantar o vazio, a solidão. Quando percebemos que o “sonho” acabou, entramos em desespero e passamos a viver o “pesadelo”. Passamos a implorar as migalhas que o outro têm a oferecer, e o pior é que, às vezes, nem migalhas chegamos a receber. Ninguém é de ninguém. Não podemos querer ser o centro do universo de ninguém, e ninguém pode ser o centro do nosso universo. A melhor maneira de ser amado é aprender a se amar, é começar a se gostar e se aceitar como é, e se não se aceita, MUDE! Faça alguma coisa por você, passe a se gostar e se respeitar e verá que o jogo muda, e se não mudar, não era ele (a) o seu eleito (a).
Às vezes temos que passar por tudo isto; encontrar pessoas erradas, sofrer dignamente por amor, e eu digo dignamente para depois encontrarmos alguém que realmente valha a pena. Não existem pessoas iguais nem fórmulas mágicas para sermos felizes. temos que aprender vivendo. A única coisa que podemos fazer é ter respeito por nós mesmos e tentar ser feliz. Minha avó já dizia: "para cada panela há sua tampa".
Pense no que falei e boa sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário