Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

ABRINDO O BAÚ

ABRINDO O BAÚ
Peregrinos deste Planeta chamado Terra,
Paz e Luz.
Tem dias na vida da gente, que buscamos algo diferente ou inovador para passar o tempo, e para mim hoje é, ou melhor, está sendo um destes dias.
Vislumbrei todas as possibilidades que estavam à mão, e só me restou, realmente duas opções:
Organizar meu guarda roupa ou pintar as grades do portão aqui de casa.
Como aqueles que me conhecem sabem que não levo nenhum jeito para pintura, fiquei mesmo com o guarda roupa.
Você deve estar se perguntando:
 Este é o jeito inovador dela passar um dia diferente?
Pode apostar que no momento a resposta é um sonoro SIM.
Faz muito tempo que não consigo cuidar das minhas coisas, fico enrolada com uma série de situações, e quando me dou conta, o dia já findou e nada de fazer o que devia.
Acho que a maioria de nós, de tempos em tempos se esquece de se priorizar.
Nestas pequenas coisas, é que percebemos como o tempo que dedicamos a nós mesmos, se restringe ao tempo vago, ocioso. Aquele tempinho que nada temos com que se preocupar.
E na verdade nossas “Pré-Ocupações”, é que deveriam ocupar nosso tempinho vago.
Mas voltando ao que realmente importa, lá fui eu arrumar minha Caixa de Pandora, ou melhor dizendo, meu guarda roupa.
Uma caixa de surpresas,um verdadeiro baú, esta é que é a verdade. Como um ser humano pode guardar tantas tralhas?
Roupas que não servem mais, vidros maravilhosos de perfumes, só que vazios, bolsas, cintos, que nem brechó compraria.
Quanto bom gosto (na época).
Mas tantas lembranças, aquela blusa usada no primeiro encontro, aquele xale que pertenceu à vovó, tudo nos remete a tempos vividos.
E a caixa de fotografia? Parei me sentei no chão e fiquei olhando aquele tesouro.
Acreditem se quiser, vi uma foto de 1980, e não é que ainda tinha a mesma blusa?
Igualzinha a que usava a viúva Porcina, aquela da novela, cheia de babados. (Gente não era mal gosto, eram os anos 80).
Ficamos guardando, guardando nossos TESOUROS na esperança de reutiliza-los um dia, e acabamos super lotando nossa vida de tranqueiras.
Epa!
Falei vida, mas na verdade, desculpem o ato falho, deveria ter falado GUARDA-ROUPA.
Mas no nosso guarda roupa, ou melhor na vida, fazemos a mesma coisa.
Tentamos RECICLAR o tempo, e no intuito de ir vivendo, às vezes, reutilizamos velhos hábitos, antigas emoções, e nem nos damos ao trabalho de verificar o que ainda nos serve.
Ligamos o automático, engatamos a primeira e lá vai...
Continuamos a viver egóicamente antigas emoções. Na esperança de como as roupas velhas, possam ser reaproveitadas, pelo novo grito da moda.
Sem nem ao menos, pararmos para nos adequar a novos e verdadeiros sentimentos.
Nos acostumamos a superlotar nossa vida, com todos os tipos de situações, e seguimos em frente, juntando nossas tranqueiras. Até que no devido tempo:
 POSSAMOS ARRANJAR UM TEMPINHO A NÓS MESMOS, PARA COLOCARMOS NOSSA PRÓPRIA VIDA EM ORDEM.











Nenhum comentário:

Postar um comentário