Pesquisar este blog

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Falando ao Coração

Falando ao Coração
Hoje eu quero falar com cada um dos Peregrinos deste Planeta chamado Terra, isto mesmo, com cada um de vocês.
Uma conversa intima pessoal, na realidade, quero falar para que o coração de vocês ouça.
Sei que as minhas verdades podem não ser as suas, e nem é minha pretensão ser a dona da verdade, então vou falar de mim. Fica mais fácil assim.
Há muito tempo venho buscando meu Caminho, e posso lhe afirmar que já percorri alguns bem difíceis, de se percorrer.
E quando falo em Caminho, falo na realidade sobre quem eu sou, nas coisas que acredito, no vazio que me levou a bater em muitas portas para ver se encontrava Deus, ou na pior hipótese, ver se eu conseguia me encaixar nesta realidade tão cruel que se chama ILUSÃO.
Você ouviu certo, sim, falei: Realidade tão cruel que se chama ILUSÃO.
Porque quando estamos ávidos em encontrar respostas, mais nos afastamos da verdade, da única realidade que pode nos ajudar a tirar o pezinho da lama.
Porque a Vida quando tem algo especial pra te dar, ela te empurra, até você acordar e ir em busca das respostas.
E pra mim, o que mais doía, era o vazio. A sensação de abandono, a solidão que me tornava diferente da moçada. Da Turma.
Meu processo, ou posso chamar de BUSCA ESPIRITUAL, começou na adolescência, e como é duro ser ABORRECENTE. Digo assim, por que foi e acho que é ainda um período de muita confusão, onde precisamos encontrar na auto afirmação nosso lugar ao Sol. Um período onde os hormônios estão gritando, onde as espinhas a mudança do corpo, fazem com que a baixa estima seja sua fiel escudeira, pois é muito difícil, quando conseguimos nos livrar dela. Uma fase cruel, pelo menos pra mim.
E olha que eu era enturmada.  Escondia minha tristeza tão bem escondida, que ninguém percebia. Descobri cedo, que esconder o que sentia me tornava igual à moçada.
E aí é que se encontra o perigo, você começa a viver tanto pro externo, que vai se afastando cada vez mais da sua própria essência.
Hoje percebo mais claramente, o porquê de tantos jovens se envolverem com drogas, e álcool. Tudo fica mais colorido, você esquece o que são os valores que aprendemos em casa.
E se não tivermos aprendido, pelo menos temos uma noção básica do que seriam.
Você passa a viver em função da galera, dos amores impossíveis, das baladas, das ficadas e cada vez mais seu propósito se distancia, e você acaba sendo engolido pela ilusão. E pode acreditar, às vezes é um Caminho sem volta. Teu espírito não aceita viver na Ilusão, ele sabe o quanto custou pra você estar encarnado. Quantas almas estão esperando esta mesma chance?
E você desperdiçando?
Você deve estar se perguntando: E meu livre arbítrio?
Eu sou dona do meu destino, faço da minha vida o que quiser.
E vou ter que concordar com você, realmente é. Você, eu somos donos do nosso destino, Co-Criadores da nossa vida.
E a busca por nós mesmos e pelo que acreditamos, pode ser agora ou daqui a mil anos,
Pra Deus, o tempo é mera formalidade, uma invenção humana, como o resto delas.
Mas chega uma hora mesmo sabendo que um dia nós vamos acordar desta dormência que nos prende nesta dimensão, sua alma sua essência, sua centelha divina, sente a urgência de estar re-ligados de novo à Fonte.
E é aí que a história começa.
A minha a sua e a de todos nós.
Ouça seu coração, perceba o que ele quer te dizer, eu lhe contei parte da minha história, só o começo dela. Mas e a sua em que parte está?
Muitas pessoas que chegam até a mim, me perguntam:
Ah, eu gostaria de saber qual é a minha missão?
E eu respondo, com a mais pura verdade.
Sua missão? Sua missão é voltar para os braços do Criador, mas anda porque ele tem o resto da Eternidade pra te esperar, mas resta saber:
De que lugar será seu ponto de partida?
Magaly Delgado

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

DE HOJE EM DIANTE






 

terça-feira, 22 de novembro de 2011

TUDO QUE PRECISAMOS É DE AMOR




Tudo que precisamos é de Amor

Ao imitar o amor incondicional do Criador por toda a humanidade, você traz amor para sua própria vida. Você cria harmonia entre você e as outras pessoas, e entre a humanidade e o mundo natural. 

A maioria de nós, em um momento ou outro, já lutou com o amor. Tivemos nossos corações partidos, nos tornamos dependentes ou simplesmente não sentimos amor algum. Mas não importa o que possamos pensar, não importa quão duros nossos corações tenham se tornado por vezes, não podemos fugir da verdade – precisamos de amor e precisamos dar amor.

Não permita que a aparente simplicidade do amor torne você cego para sua importância. Esta semana, o Zohar nos traz dois ensinamentos incrivelmente belos sobre o assunto.

1. A capacidade de amar e a qualidade do nosso amor é um presente da Luz do Criador.

2. Quanto mais usarmos nosso amor de forma positiva, compartilhando, mais amor receberemos para compartilhar. Por outro lado, se usarmos nosso amor de forma egoísta e negativa, então nossa capacidade de amar diminuirá.

Se você entender e praticar esses ensinamentos, não só aumentará a quantidade e a qualidade do amor que terá em sua vida, como também a quantidade de amor que se revelará no mundo. Pelo Zohar, fica claro que devemos correr atrás e aproveitar todas as oportunidades de compartilhar o nosso amor.

Outro segredo poderoso sobre o amor é que cada um de nós influencia a forma como os canais desse mesmo amor se abrem e fecham para o mundo! Quando não estamos amando ou quando usamos nosso amor para manipular ou punir, estamos diminuindo o amor existente no mundo.

Nossas ações importam. Tudo está conectado. É importante apreciar nosso poder, que infelizmente a maioria de nós subestima.

Os efeitos das nossas ações nesse mundo físico se espalham pelos mundos espirituais. Assim como nossas ações reverberam através dos Mundos Superiores, sua ressonância se torna cada vez mais forte, de forma muito semelhante ao Efeito Borboleta. Em 1972, os cientistas explicaram o fenômeno extraordinário de que o menor dos atos em um lugar pode ter um efeito imenso do outro lado do mundo (o exemplo que usaram foi o bater das asas de uma borboleta no Brasil causando um tornado no Texas).

Os kabalistas têm conhecimento deste fenômeno há mais de quatro mil anos. Mas eles o levam um passo adiante: uma ação espiritual aparentemente pequena, um simples ato de compartilhar, pode fazer com que uma incrível quantidade de Luz seja revelada no mundo.

Infelizmente, como nossos sentidos são limitados a enxergar apenas essa dimensão física, subestimamos de forma grosseira o efeito positivo das nossas ações e certamente dos nossos atos aparentemente menores. Precisamos lembrar constantemente que nosso poder é muito maior do que nos permitimos acreditar e que o efeito positivo das nossas ações – sejam elas grandes ou pequenas – é muito mais do que jamais poderíamos imaginar.

Uma coisa é certa sobre o mundo atual: não existe suficiente amor sendo compartilhado por um número suficiente de pessoas, e todos nós precisamos assumir essa responsabilidade e reconhecer que estamos contribuindo para isso.

Rav Yehuda Berg

Fonte: Centro Cabala 
www.yehudaberg.com

MEUS AGRADECIMENTOS AO AMIGO ISSARRAR, PELO MUITO QUE TENHO APRENDIDO
OBRIGADA
MAGALY DELGADO

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

SOLIDÃO- PAULO COELHO

Quem não se sente só?
Quem já não se sentiu só?
Pois eu digo: A Pior Solidão é aquela que sentimos quando estamos com alguém do lado"

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

DESISTIR-JOGAR A TOALHA

DESISTIR-JOGAR A TOALHA.
Peregrinos deste Planeta Chamado Terra, paz e luz no coração de cada um de vocês.
Muitos foram os momentos que falei sobre o amor, falei sobre esperança e sobre fé.
Hoje não seria diferente mas, ao me ver diante do papel, me vi sem idéia sem coragem, e sem nenhuma disposição de expressar qualquer sentimento.
Olhando a pagina em branco, a palavra Vázio, foi a única que se aproximou deste estado de espírito, que se instalou em meu SER.
Comecei e recomecei a escrever várias vezes, muitos foram os assuntos que poderia abordar, mas na minha frente a pagina em branco era a única que conseguia reter minha atenção.
 DESISTO. JOGO A TOALHA.
Este foi o pensamento de maior lucidez que talvez tivesse nestes últimos instantes.
Desisto, mas não somente de escrever, desisto de tudo. De tudo que já na posso mais mudar. E quanto mais pensava em largar o notebook, mais pensava nas coisas que deveria também desistir.
Desistir de querer ser aceita, dane-se sou o que sou, cada dia é um novo dia e procuro encontrar o melhor Caminho e Evoluir, Confiar, Ter Fé.
Mas hoje eu preciso aceitar que, como uma casa que está sendo esvaziada, chega uma hora que nela não irá restar mais nada. Assim estou eu, Esvaziada.
Vazia das Tranqueiras que arrastei pela vida inteira, dos móveis e roupas que já nem mais parecem comigo, hoje estou vazia.
Se a sensação é Boa?
Não. Não é, pelo menos pra mim.
O vazio se mistura com solidão, mas cansei de amar sozinha, amores dramáticos, histórias e dramas de novelas. Me despojo disto tudo.
Cansei de viver de migalhas. Eu mereço TUDO.
Mas enquanto este tudo não vem, aproveito este vazio, pra limpar a Casa, os cantos de cada cômodo, que por uma vida inteira ajuntou pó. Sentimentos e emoções perdidas.
Nesta hora, você lembra, de uma maneira egoísta de tudo que já fez pelos outros, e acha que a Casa mesmo sem moveis , deveria estar cheia de gente, afinal você foi a BOA SAMARITANA a vida inteira. A Mãezona, a Amigona, e daí?
E daí, Pergunto eu?
As pessoas passaram, seguiram adiante e o principal e a maior lição que eu tive até hoje na minha vida:
NUNCA FAÇA NADA POR ALGUÉM ESPERANDO SER RECONHECIDO.
Não é fácil, é duro, dói, e dói muito.
Mas mesmo sozinho, e sua casa vazia, tenha certeza que cada um que passou por você, te ama do modo deles.
Isto é pra te conformar? Não.
Isto é só pra nos mostrar que na vida sentimentos nos aproximam, mas nunca, nos amarram.
E hoje como peregrina, com está Vida que chamo de casa, Vazia, me sinto triste, mas com uma certeza ENORME, que tudo ficará mais fácil.
Afinal mesmo necessitanto de um aperto de mão, hoje percebendo que minha mudança já ocorreu, e eu apegada a antigos valores, fui à única que não vi.
Vazia como a folha de papel, enxugo as lagrimas, respiro e sigo em frente, afinal, nem o peso das malas, sinto mais.
Podem acreditar, ao tomar consciência disto, e DESISTIR de vez do que ainda me prendia me fez sentir LIVRE, pra seguir meu CAMINHO.

MAGALY DELGADO



quarta-feira, 16 de novembro de 2011

NO PARAÍSO TERRENAL

‎1.No Paraíso Terrenal

há um casal

uma mulher e um homem

de mãos dadas

olhando para o mesmo horizonte

avançando juntos

em Amor



2.Superada uma etapa de escuridão

individual ou coletiva

maior liberdade se obtém



3.Eu não peço castidade

às almas limpas

só verdadeiro Amor

honestidade e responsabilidade

uma utilização formosa e sã

sábia e natural

da Sagrada Força



4.Cada alma tem um complemento único

que a aguarda nas alturas da consciência

o encontro não é casual

depende da própria elevação



5.Quando se necessita do outro

como de uma muleta

não pode contudo aparecer o complemento 

aparecerá uma muleta

que pode ajudar num trecho

porém o complemento

todavia não



6.A alma complementar aparece

quando já não é indispensável para ser feliz

quando já não se necessita de muleta

quando cresceram as asas

aprendeu-se a voar

e se chegou ao auge do encontro



7.O caminho para a Luz

é o caminho para o encontro

porque a Luz Interior

produz o reconhecimento



8.Quando os complementos se unem

ingressam em um vertiginoso rio

de maior crescimento interior



9.Quando a muleta cumpriu sua função

e já não se necessita dela

mas se persiste no seu uso

a evolução estanca

a harmonia se perde

a consciência decresce



10.Maior dor há em uma má união

do que em desfazer o mal atado



11.Quando as almas não se aproximam de Mim

quando não transitam no Caminho para a Luz

e não se libertam de suas grandes sombras

nem têm obras de serviço ao Amor

não estão com suas consciências iluminadas

e não podem encontrar seu complemento



12.Existem casais unidos pelas sombras

por suas impurezas

por atrativos externos

por razões materiais ou sociais

por apoio mediante debilidades fictícias

porém não por Mim unidos

não por Amor



13.Em outros produzo Eu o encontro

para o crescimento de um

ou de ambos

porém apenas para um trecho

não para a perpetuidade



14.Ainda que vãos papéis e ritos os atenham

se já não há Amor

não os mantenho unidos Eu

o Amor



15.O adultério e a separação

a falta de harmonia

a convivência forçada

rotineira e cinzenta 

a indiferença da alma

comprovam a falsidade da união



16.O casal por Mim unido

vive em harmonia e dita

gera frutos valiosos

não podem trair-se

nem separar-se

e não por obrigação

nem por temor



17.Toda a união

não fundamentada no verdadeiro Amor

é adultério

porque atraiçoa o verdadeiro Amor

e é fornicação

porque utiliza a Sagrada Força sem Amor



18.Para encontrar teu complemento

busca primeiro tua Luz

e entrega-a aos demais



19.Não percas tua semente em terra alheia

nem manches tua terra com semente imprópria



20.O humano completo não é um

são dois que se fazem um



21.Na Nova Era

cessará o predomínio dele sobre ela

tampouco ela o dominará

caminharão unidos

complementares

porém iguais.



Julia Rohr

terça-feira, 15 de novembro de 2011

PRECE PARA MÃE TERRA

Prece para a Mãe Terra


“Abençoado seja o Filho da Luz que conhece sua Mãe Terra
Pois é ela a doadora da vida
Saibas que a sua Mãe Terra está em ti e tu estás Nela
Foi Ela quem te gerou e que te deu a vida
E te deu este corpo que um dia tu lhe devolverás
Saibas que o sangue que corre nas tuas veias
Nasceu do sangue da tua Mãe Terra
O sangue Dela cai das nuvens, jorra do ventre Dela
Borbulha nos riachos das montanhas
Flui abundantemente nos rios das planícies
Saibas que o ar que respiras nasce da respiração da tua Mãe Terra
O alento Dela é o azul celeste das alturas do céu
E os sussurros das folhas da floresta
Saibas que a dureza dos teus ossos foi criada dos ossos de tua Mãe Terra
Saibas que a maciez da tua carne nasceu da carne de tua Mãe Terra
A luz dos teus olhos, o alcance dos teus ouvidos
Nasceram das cores e dos sons da tua Mãe Terra
Que te rodeiam feito às ondas do mar cercando o peixinho
Como o ar tremelicante sustenta o pássaro
Em verdade te digo, tu és um com tua Mãe Terra
Ela está em ti e tu estás Nela
Dela tu nasceste, Nela tu vives e para Ela voltará novamente
Segue portanto as suas leis
Pois teu alento é o alento Dela
Teu sangue o sangue Dela
Teus ossos os ossos Dela
Tua carne a carne Dela
Teus olhos e teus ouvidos são Dela também
Aquele que encontro a paz na sua Mãe Terra
Não morrerá jamais
Conhece esta paz na tua mente
Deseja esta paz ao teu coração
Realiza esta paz com o teu corpo.”

Evangelho dos Essênios

terça-feira, 8 de novembro de 2011

EU CREIO

Para todos os Peregrinos deste Planeta Chamado Terra: 

Eu Creio
 Creio em Deus,

E em nossos Mestres,  Anjos e Guardiões de Luz.

Creio no Amor Universal, e na Bondade Infinita.
Creio na Força do Pai Criador,
E também na Evolução da Criação.
Creio na Mãe Natureza,
E na fonte Inesgotável de Cura.
Creio no Espírito Cósmico e Universal,
E na realidade da Vida Eterna.
Creio no Milagre da Vida,
Bem como na União entre os Povos.
Creio na Evolução dos Mundos,
E na Sabedoria Infinita.
Creio na Lei e na Justiça Divina,
E no Amparo, Proteção e Livramento,
 Creio no Perdão,
Bem como na sua Infinita Misericórdia.
Creio na Fonte de Infinita Abundância,
E na Providência Divina.
Creio em muitos Caminhos,
E numa única Verdade.
Creio em mim,
Pois: “EU SOU UM COM DEUS”.

Assim Seja

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A PEQUENA ALMA E O SOL


 A Pequena Alma e o Sol

Era uma vez, em tempo nenhum, uma
Pequena Alma que disse a Deus:
- Eu sei quem sou!
E Deus disse:
- Que bom! Quem és tu?
E a Pequena Alma gritou:
- Eu sou Luz
E Deus sorriu.
- É isso mesmo! - exclamou Deus. - Tu
és Luz!

A Pequena Alma ficou muito contente,
porque tinha descoberto aquilo que todas as
almas do Reino deveriam descobrir.
- Uauu, isto é mesmo bom! - disse a
Pequena Alma.
Mas, passado pouco tempo, saber quem
era já não lhe chegava. A pequena Alma
sentia-se agitada por dentro, e agora queria
ser quem era. Então foi ter com Deus (o que
não é má ideia para qualquer alma que queira
ser Quem Realmente É) e disse:
- Olá Deus! Agora que sei Quem Sou,
posso sê-lo?
E Deus disse:
- Quer dizer que queres ser Quem já És?
- Bem, uma coisa é saber Quem Sou, e
outra coisa é sê-lo mesmo. Quero sentir como
é ser a Luz! - respondeu a pequena Alma.
- Mas tu já és Luz - repetiu Deus,
sorrindo outra vez.
- Sim, mas quero senti-lo! - gritou a
Pequena Alma.

- Bem, acho que já era de esperar. Tu
sempre foste aventureira - disse Deus com
uma risada. Depois a sua expressão mudou.
- Há só uma coisa...
O quê? - perguntou a Pequena Alma.
- Bem, não há nada para além da Luz.
Porque eu não criei nada para além daquilo
que tu és; por isso, não vai ser fácil
experimentares-te como Quem És, porque não
há nada que tu não sejas.
- Hã? - disse a Pequena Alma, que já
estava um pouco confusa.
- Pensa assim: tu és como uma vela ao
Sol. Estás lá sem dúvida. Tu e mais milhões,
ziliões de outras velas que constituem o Sol. E
o Sol não seria o Sol sem vocês. "Não seria um
sol sem uma das suas velas... e isso não seria
de todo o Sol, pois não brilharia tanto. E no
entanto, como podes conhecer-te como a Luz
quando estás no meio da Luz - eis a
questão".
- Bem, tu és Deus. Pensa em alguma
coisa! - disse a Pequena Alma mais
animada.

Deus sorriu novamente.
- Já pensei. Já que não podes ver-te como
a Luz quando estás na Luz, vamos rodear-te
de escuridão - disse Deus.
- O que é a escuridão? perguntou a
Pequena Alma.
- É aquilo que tu não és - replicou Deus.
- Eu vou ter medo do escuro? -
choramingou a Pequena Alma.
- Só se o escolheres. Na verdade não há
nada de que devas ter medo, a não ser que
assim o decidas. Porque estamos a inventar
tudo. Estamos a fingir.
- Ah! - disse a Pequena Alma, sentindose
logo melhor.
Depois Deus explicou que, para se
experimentar o que quer que seja, tem de
aparecer exactamente o oposto.

- É uma grande dádiva, porque sem ela
não poderíamos saber como nada é - disse
Deus - Não poderíamos conhecer o Quente
sem o Frio, o Alto sem o Baixo, o Rápido sem
o Lento. Não poderíamos conhecer a
Esquerda sem a Direita, o Aqui sem o Ali, o
Agora sem o Depois. E por isso, - continuou
Deus - quando estiveres rodeada de
escuridão, não levantes o punho nem a voz
para amaldiçoar a escuridão.
"Sê antes uma Luz na escuridão, e não
fiques furiosa com ela. Então saberás Quem
Realmente És, e os outros também o saberão.
Deixa que a tua Luz brilhe tanto que todos
saibam como és especial!"
- Então posso deixar que os outros vejam
que sou especial? - perguntou a Pequena
Alma.
- Claro! - Deus riu-se. - Claro que
podes! Mas lembra-te de que "especial" não
quer dizer "melhor"! Todos são especiais, cada
qual à sua maneira! Só que muitos
esqueceram-se disso. Esses apenas vão ver
que podem ser especiais quando tu vires que
podes ser especial!
- Uau - disse a Pequena Alma,
dançando e saltando e rindo e pulando. -
Posso ser tão especial quanto quiser!
- Sim, e podes começar agora mesmo -
disse Deus, também dançando e saltando e
rindo e pulando juntamente com a Pequena
Alma - Que parte de especial é que queres
ser?
- Que parte de especial? - repetiu a
Pequena Alma. - Não estou a perceber.
- Bem, - explicou Deus - ser a Luz é
ser especial, e ser especial tem muitas partes.
É especial ser bondoso. É especial ser
delicado. É especial ser criativo. É especial ser
paciente. Conheces alguma outra maneira de
ser especial?
A Pequena Alma ficou em silêncio por um
momento.
- Conheço imensas maneiras de ser
especial! - exclamou a Pequena Alma - É
especial ser prestável. É especial ser
generoso. É especial ser simpático. É especial
ser atencioso com os outros.

- Sim! - concordou Deus - E tu podes
ser todas essas coisas, ou qualquer parte de
especial que queiras ser, em qualquer
momento. É isso que significa ser a Luz.
- Eu sei o que quero ser, eu sei o que
quero ser! - proclamou a Pequena Alma com
grande entusiasmo. - Quero ser a parte de
especial chamada "perdão". Não é ser especial
alguém que perdoa?
- Ah, sim, isso é muito especial,
assegurou Deus à Pequena Alma.
- Está bem. É isso que eu quero ser.
Quero ser alguém que perdoa. Quero
experimentar-me assim - disse a Pequena
Alma.
- Bom, mas há uma coisa que devias
saber - disse Deus.
A Pequena Alma já começava a ficar um
bocadinho impaciente. Parecia haver sempre
alguma complicação.
- O que é? - suspirou a Pequena Alma.
- Não há ninguém a quem perdoar.
- Ninguém? A Pequena Alma nem queria
acreditar no que tinha ouvido.
- Ninguém! - repetiu Deus. Tudo o que
Eu fiz é perfeito. Não há uma única alma em
toda a Criação menos perfeita do que tu. Olha
à tua volta.
Foi então que a Pequena Alma reparou na
multidão que se tinha aproximado. Outras
almas tinham vindo de todos os lados - de
todo o Reino - porque tinham ouvido dizer
que a Pequena Alma estava a ter uma
conversa extraordinária com Deus, e todas
queriam ouvir o que eles estavam a dizer.
Olhando para todas as outras almas ali
reunidas, a Pequena Alma teve de concordar.

Nenhuma parecia menos maravilhosa, ou
menos perfeita do que ela. Eram de tal forma
maravilhosas, e a sua Luz brilhava tanto,
que a Pequena Alma mal podia olhar para
elas.
- Então, perdoar quem? - perguntou
Deus.
- Bem, isto não vai ter piada nenhuma!
- resmungou a Pequena Alma - Eu queria
experimentar-me como Aquela que Perdoa.
Queria saber como é ser essa parte de
especial.
E a Pequena Alma aprendeu o que é
sentir-se triste.
Mas, nesse instante, uma Alma Amiga
destacou-se da multidão e disse:
- Não te preocupes, Pequena Alma, eu
vou ajudar-te - disse a Alma Amiga.
- Vais? - a Pequena Alma animou-se. -
Mas o que é que tu podes fazer?
- Ora, posso dar-te alguém a quem
perdoares!
- Podes?
- Claro! - disse a Alma Amiga
alegremente. - Posso entrar na tua próxima
vida física e fazer qualquer coisa para tu
perdoares.
- Mas porquê? Porque é que farias isso?
- perguntou a Pequena Alma. - Tu, que és
um ser tão absolutamente perfeito! Tu, que
vibras a uma velocidade tão rápida a ponto de
criar uma Luz de tal forma brilhante que mal
posso olhar para ti! O que é que te levaria a
abrandar a tua vibração para uma velocidade
tal que tornasse a tua Luz brilhante numa luz
escura e baça? O que é que te levaria a ti, que
danças sobre as estrelas e te moves pelo Reino
à velocidade do pensamento, a entrar na
minha vida e a tornares-te tão pesada a ponto
de fazeres algo de mal?
- É simples - disse a Alma Amiga. -
Faço-o porque te amo.

A Pequena Alma pareceu surpreendida
com a resposta.
- Não fiques tão espantada - disse a
Alma Amiga - tu fizeste o mesmo por mim.
Não te lembras? Ah, nós já dançámos juntas,
tu e eu, muitas vezes. Dançámos ao longo das
eternidades e através de todas as épocas.
Brincámos juntas através de todo o tempo e
em muitos sítios. Só que tu não te lembras. Já
fomos ambas o Todo. Fomos o Alto e o Baixo,
a Esquerda e a Direita. Fomos o Aqui e o Ali,
o Agora e o Depois. Fomos o Masculino e o
Feminino, o Bom e o Mau - fomos ambas a
vítima e o vilão. Encontrámo-nos muitas
vezes, tu e eu; cada uma trazendo à outra a
oportunidade exacta e perfeita para Expressar
e Experimentar Quem Realmente Somos.
- E assim, - a Alma Amiga explicou
mais um bocadinho - eu vou entrar na tua
próxima vida física e ser a "má" desta vez.
Vou fazer alguma coisa terrível, e então tu
podes experimentar-te como Aquela Que
Perdoa.
- Mas o que é que vais fazer que seja
assim tão terrível? - perguntou a Pequena
Alma, um pouco nervosa.
- Oh, havemos de pensar nalguma coisa
- respondeu a Alma Amiga, piscando o olho.

Então a Alma Amiga pareceu ficar séria,
disse numa voz mais calma:
- Mas tens razão acerca de uma coisa,
sabes?
- Sobre o quê? - perguntou a Pequena
Alma.
- Eu vou ter de abrandar a minha
vibração e tornar-me muito pesada para fazer
esta coisa não muito boa. Vou ter de fingir ser
uma coisa muito diferente de mim. E por isso,
só te peço um favor em troca.
- Oh, qualquer coisa, o que tu quiseres!
- exclamou a Pequena Alma, e começou a
dançar e a cantar: - Eu vou poder perdoar,
eu vou poder perdoar!
Então a Pequena Alma viu que a Alma
Amiga estava muito quieta.
- O que é? - perguntou a Pequena Alma.
- O que é que eu posso fazer por ti? És um
anjo por estares disposta a fazer isto por mim!
- Claro que esta Alma Amiga é um anjo!
- interrompeu Deus, - são todas! Lembra-te
sempre: Não te enviei senão anjos.
E então a Pequena Alma quis mais do que
nunca satisfazer o pedido da Alma Amiga.
- O que é que posso fazer por ti? -
perguntou novamente a Pequena Alma.
- No momento em que eu te atacar e
atingir, - respondeu a Alma Amiga - no
momento em que eu te fizer a pior coisa que
possas imaginar, nesse preciso momento...
- Sim? - interrompeu a Pequena Alma
- Sim?

A Alma Amiga ficou ainda mais quieta.
- Lembra-te de Quem Realmente Sou.
- Oh, não me hei-de esquecer! - gritou a
Pequena Alma - Prometo! Lembrar-me-ei
sempre de ti tal como te vejo aqui e agora.
- Que bom, - disse a Alma Amiga -
porque, sabes, eu vou estar a fingir tanto, que
eu própria me vou esquecer. E se tu não te
lembrares de mim tal como eu sou realmente,
eu posso também não me lembrar durante
muito tempo. E se eu me esquecer de Quem
Sou, tu podes esquecer-te de Quem És, e
ficaremos as duas perdidas. Então, vamos
precisar que venha outra alma para nos
lembrar às duas Quem Somos.
- Não vamos, não! - prometeu outra vez
a Pequena Alma. - Eu vou lembrar-me de ti!
E vou agradecer-te por esta dádiva - a
oportunidade que me dás de me experimentar
como Quem Eu Sou.

E assim o acordo foi feito. E a Pequena
Alma avançou para uma nova vida,
entusiasmada por ser a Luz, que era muito
especial, e entusiasmada por ser aquela parte
especial a que se chama Perdão.
E a Pequena Alma esperou ansiosamente
pela oportunidade de se experimentar como
Perdão, e por agradecer a qualquer outra
alma que o tornasse possível.
E, em todos os momentos dessa nova vida,
sempre que uma nova alma aparecia em cena,
quer essa nova alma trouxesse alegria ou
tristeza - principalmente se trouxesse tristeza
- a Pequena Alma pensava no que Deus lhe
tinha dito.
Lembra-te se mpre,
-
Deus aqui tinha sorrido -
não te env iei se não anjos.
(Neale)


Neale Donald Walsch

terça-feira, 1 de novembro de 2011

VOCÊ ESTÁ ME ABANDONANDO?

VOCÊ ESTÁ ME ABANDONANDO?
Uma mensagem de Abraham canalizada por Esther e Jerry Hicks

A maioria das pessoas que querem um relacionamento acredita que uma relação medíocre é melhor do que nenhuma relação, mas nós não concordamos com isso. Ou seja, como o potencial para um relacionamento glorioso sempre existe – nós nunca encorajamos aceitar menos que isso.

Lembre-se que você se sente dessa maneira por conta da combinação de vibrações dentro de você, e que duas pessoas não se sentem exatamente da mesma maneira sobre nada. É possível que duas pessoas compartilhem o que parece ser uma experiência idêntica, mas uma pessoa aproveita enquanto a outra não, porque sua mistura de vibrações individuais varia.

Ao invés de tentar descobrir o que a outra pessoa quer e se esforçar para satisfazer seus desejos, é mais produtivo e satisfatório para você direcionar seus pensamentos para as coisas que você quer.

O que quer que esteja vivendo está fazendo com que realize depósitos regulares na sua conta Caução Vibracional, então quando algo que você não quer acontece, você faz um pedido pelo que quer, ao contrário. Então, por exemplo, agora que seu parceiro te abandonou, seu pedido por alguém que queira estar contigo foi feito de uma maneira firme e mais clara do que nunca.

Muitas de suas experiências nessa vida te levaram a fazer pedidos, então, você criou um relacionamento magnífico que te espera na Caução Vibracional e te chama para sua realização. E na medida em que você encontra mais pensamentos mais adiante, você se aproxima da realização desses desejos. Mas hoje, enquanto seu coração está partido, você vai contra a Corrente e não se permite aproximar da relação que te espera.

As pessoas se surpreendem quando lhes falamos que toda coisa ruim que já lhes aconteceu num relacionamento é parte da razão porque um relacionamento tão magnífico agora lhes aguarda. Contudo, se continuarem a bater na mesma tecla em relação às coisas ruins que aconteceram, elas continuarão a se privar da descoberta dessa criação maravilhosa.