Pesquisar este blog

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Meu anoitecer...









Meu anoitecer é triste sem você,
Minhas lembranças vão te encontrar
no lugar mais profundo do meu ser.
E a saudade do teu corpo, no meu, 
do desejo partilhado, da entrega
sem reservas, eu preciso deste amor...
Você é tudo...
E ninguém será capaz de ocupar meu coração.
Você pode estar neste momento na cama com outro alguém,
satisfazendo teu desejo, teu ego.
Mas eu sei que é a mim, que tua alma quer.
Eu sei que a tua e a minha vida, nunca mais será a mesma.
Mas ainda te quero e desejo...paixão, loucura, um fascínio
que me enlouquece.
Mas vou te caçar, e te roubar pra mim.
Será como antes, até melhor...
Eu e você, na magia deste amor.
Vou te roubar pra mim,
Me espera...eu sei que teu corpo me quer e tua alma me chama.
Magamagaly

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

DESVENDA-ME







Desvenda-me

De me um motivo para ficar...não somente com este teu corpo lindo, esta tua boca carnuda, que me devora com teus beijos.
Um motivo maior.
Cativa minha alma...já que com o teu corpo, já me fez render aos teus caprichos.
Cativa minha alma, minha mente e meu espírito.
Não sou somente um corpo, renegado ao teu.
Minha alma clama a doçura e leveza de quem ama,
Meu espírito, sente a falta do companheirismo do passado.
E minha mente, deseja ser provocada, com a sagacidade de quem
deseja muito mais do que se tem.
Mas tu, só vê meu corpo, este que vai envelhecer, sem a tez da mocidade, este que vai se deixar marcar pela passagem do tempo com cicatrizes, que nem a alma tem.
Veja a mim, por inteira.
Não me limite a ser só parte do todo que sou.
Ame...me ame, mas me conheça.
Nada perderá.
Se conseguir escapar do que sou.
Porque te garanto que sou capaz de te desvendar a alma, ler entre as entrelinhas o que você pensa, só com o olhar.
Pois quem realmente ama, conhece o que se tem.
Me entrego inteira, venha me desvende, e prometo que nunca se arrependerá.
Magamagaly

Texto- Caio Fernando Abreu










"Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais -por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia –qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido.Eu prefiro viver a ilusão do quase, quando estou "quase" certa que desistindo naquele momento vou levar comigo uma coisa bonita. Quando eu "quase" tenho certeza que insistir naquilo vai me fazer sofrer, que insistir em algo ou alguém pode não terminar da melhor maneira, que pode não ser do jeito que eu queria que fosse, eu jogo tudo pro alto, sem arrependimentos futuros! Eu prefiro viver com a incerteza de poder ter dado certo, que com a certeza de ter acabado em dor. Talvez loucura, medo, eu diria covardia, loucura quem sabe!” 
(Caio Fernando Abreu)o que e ebay

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Deixa eu passar com a minha tristeza






Deixa eu passar com a minha tristeza,
não espere de mim, o que eu nem tenho mais para dar.
Não lamente pelo estrago que causou.
Fui eu que mudou...
Deixei de ser o que eu fui, para ser aquilo em que a dor me transformou.
Quantas mulheres, ou mesmo os homens não passam por isto, a dor modifica, transforma a ilusão em realidade crua, nua de sonhos e fantasias.
Hoje sou um produto, fabricado por homens que nem você...Que mentem, ferem, enganam e iludem.
Mas não se vanglorie, você infelizmente não é o único...Te agradeço
até.
Me tornou uma mulher experiente...tenho pena somente, do próximo que virá depois de você...
Magamagaly

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Sofrer?...Encare.




Tive duas grandes perdas, na minha vida...confesso que nem sei como sobrevivi.
Às vezes acho que na verdade morri...aquela que eu era morreu.
A capacidade de superação, depende de cada pessoa, mas se não superar de um jeito, a vida lhe impõe outras, até que você se transforme em algo mais forte e resistente, até que comece a ficar calejado pelas dores do mundo.
E quando a gente pensa que já esta pronto, vem mais uma e derradeira, que lhe rouba a vontade de continuar...
Procuramos de toda forma, achar artifícios que nos tire da dor, fingimos, esquecemos, transferimos, boicotamos, fugimos...uma série de situações, que nos colocamos para tentar não enfrentar, o bicho papão de frente.
Mas de nada serve, acreditem em mim...tentei tudo.
Criam-se outros problemas, outras situações, e a ferida continua lá aberta, exposta, a tudo e a todos.
Aprendi que tenho que me permitir sofrer as minhas perdas, enfrentar os meus processos...não existem fórmulas mágicas, para deixar de sofrer.
Dizem que o tempo cura...pode ser, mas também aumenta a dor da saudade, e a gente se pega implorando à memória, que nunca se esqueça de cada momento vivido com quem amamos.
Com quem dividimos a vida, seja a mãe, o pai, um filho ou companheiro...um amigo talvez.
Sei que nada é permanente, que as coisas mudam, que a minha dor vai diminuir, para se tornar uma doce lembrança...
Mas hoje quero chorar...
Quero ser como um filhote, que necessita ainda da mãe...
Quero deixar de me sentir uma fraude, e encarar meu discurso de vida pós morte...E confiar, acreditar, que nos encontraremos.
Mas no momento, preciso e devo, encarar esta dor, para poder sair vivo dela.
Nada de máscaras hoje meus amigos, nada de falsos sorrisos, nada de palavras de motivação...
Hoje quero ser eu mesma, e chorar a minha dor...
Magaly Delgado

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Flor Dourada











Liberta na tua vida, às almas que vem acorrentando durante a tua estada neste planeta. Por vários motivos, colocamos naqueles que nos relacionamos, "ganchos energéticos", criando em nossos relacionamentos uma dependência, física ou psíquica.
Temos dificuldades de largar o passado, pessoas, amores...fraudamos nossos sentimentos, para nos manter presos em relações acabadas, e a troco de que?
Muitas vezes não conseguimos, dar continuidade à nossa vida, por estarmos presos, ou por prendermos também, aqueles que pensamos ser indispensáveis à nossa jornada evolutiva.
Carregamos nossas "malas", nossas dependências, nossos fardos, e nem percebemos o caos que nossa vida se tornou.
Precisamos libertar e sermos libertados das co-dependências, das magoas, da culpa, dos amores impossíveis, das manipulações e chantagens emocionais...Precisamos ser livres, nos livrarmos de toda esta carga, pois só assim seremos livres, para enxergarmos uma luz no fim do túnel.
Cada um de nós possui uma grande flor dourada, a nos indicar o caminho da gratidão e sabedoria divina.
Pensem sobre isto...e não prendam ninguém à vocês, pois o Caminho da Evolução é único e individual, para cada Ser Humano.
Magaly Delgado

Chama por mim








Já não sei mais como fazer você me entender,
Sigo os teus passos, de mansinho.
Em busca do teu caminho.
Mas me perco na dor deste silêncio.
Às vezes acordo assustada,
com tua voz na minha cabeça,
a me chamar, falando meu nome baixinho.
No meu corpo, a solidão e o vazio.
Sem tuas mãos, sem teu carinho.
Me dispo na frente do espelho, e procuro as marcas da noite que tivemos.
Mas ao me ver... só vejo a dor da minha alma, sem você.
Não existem, beijos, nem caricias, nem suor nem corpos em brasas.
Nem meu nome nem seu nome. Nada.
A não ser eu...
Perdida nesta loucura difusa,
que me confunde a cabeça,
Pois não sei se é amor ou fantasia.
Escuto tua voz a chamar.
Vem mesmo em fantasia, chama por mim.
Te espero.
Mas aquece meu corpo, aquece o frio da minha alma.
Mas vem...
Chama por mim.
Magamagaly

sábado, 5 de janeiro de 2013

REDOMA




Minha vida tem sido uma sucessão de abandonos, de perdas.
Olho para trás e já nem tenho mais guardada na memória as lembranças do passado.
Até minha mente me blindou diante de tanta dor, me fez esquecer muitas coisas que vivi.
Mas sinto-me perseguida por fantasmas que me assolam os sonhos...é onde minha mente deixa fluir o que pensei ter esquecido.
Acordo assustada e vejo que parte de mim se encontra distante, avessa à minha dor...como numa negação do meu próprio Eu, e isto me causa medo. Medo de me perder de mim, de quem eu sou.
Guardo-me numa redoma, e vejo a vida pelo vidro...lá esta eu...rindo de uma coisa qualquer, vivendo uma vida qualquer, esperando a hora certa de assumir meu papel...
Magamagaly

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Tati Bernardi






''Eu cansei de ser perdoada, compreendida e aceita. Eu cansei do mundo evoluído, porque eu sou bicho e esse mundo evoluído me humilha demais. Alguém aí pode admitir que essa merda de vida dá um medo filho da puta, e que ficar longe de tudo dói, e que ficar dentro de tudo dói, e que estar aqui, agora, dói pra cacete? Alguém aí pode admitir por um segundo a inveja, o cansaço, o ciúme, a dor, a porra toda que essa química causa no nosso cérebro quando se espalha sem pedir permissão e joga essa doença toda pra cima da gente, a gente que estava calmamente vivendo nossa vidinha idiota? Alguém aí pode deixar de segurar na muleta social do divertimento, jogar copos longe, cigarros longe, bocas alheias, fugazes e desconhecidas longe, roupas longe, colares e pulseiras longe, poses e armações de sutiãs longe? Alguém pode me dar um murro na boca e me prender ao pé da cama, por favor?'' 
Tati Bernardi