Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Voando pelo Céu de Athor com os Sábio das Estrelas e Princípios Herméticos


Voando pelo Céu de Athor com o Sábio das Estrelas
Ele veio de lugares distantes e pousou nas terras quentes do Antigo Egito.
Parecia um anjo, mas era um homem, semelhante aos da Terra. Devido à sua sabedoria, foi acolhido como um mestre.
No entanto, o que ele gostava mais era do contato com o povo simples do lugar.
Estava sempre de bom humor e seu rosto resplandecia quando sorria.
Seus olhos brilhavam como duas estrelas.
Ele compartilhava seus conhecimentos estelares com aqueles que já estavam preparados para o claro entendimento dos princípios que regem o Cosmo.
Após as aulas noturnas ministradas dentro dos templos iniciáticos, ele costumava projetar-se para fora do corpo físico junto com seus discípulos.
Alçando vôo e singrando o céu de Athor*, eles mais pareciam anjos luminosos, mas eram apenas pessoas iniciadas nas artes espirituais em plena ação.
Nos planos extrafísicos, ele aprofundava as explicações, aplicava os exercícios apropriados e continuava compartilhando sua sabedoria.

Ele costumava dizer: “ Cada ser carrega uma luz no coração e é portador de sublimes potenciais a serem despertados. Porém, antes disso, precisa ser provado no caminho das experiências necessárias ao seu burilamento. Precisa abrir o coração e servir ao Plano Maior. Antes do acesso à Consciência Cósmica, primeiro as lições de humildade, responsabilidade, respeito às leis da natureza e a vontade de servir à evolução da humanidade no anonimato. Trabalhar incessantemente sem os arroubos da arrogância, sempre consciente dos excelsos objetivos.
Nas trilhas da espiritualidade, não há espaço para objetivos mesquinhos e sabotagens diversas. Quem almeja o despertamento da luz estelar em si mesmo, precisa harmonizar-se com os objetivos que busca e com a lucidez e o amor em suas atividades.
Não é fácil brilhar, só os fortes de espírito conseguem conviver com o brilho estelar aceso em si mesmos e, ao mesmo tempo, serem apenas seres humanos normais com todos os percalços inerentes a esta condição.
Cada homem tem asas espirituais, mas precisa aprender a abri-las. Leva tempo para um homem transformar-se em anjo completamente, leva vidas e muita paciência. Primeiro há de treinar o anjo na carne, vida após vida. Lentamente as asas de luz vibrarão na freqüência estelar adequada. No devido tempo a ascensão ocorrerá, não por motivações místicas ou religiosas, mas pelo próprio nível de consciência manifestado.
Ninguém está no mundo por acaso! Só vence a roda reencarnatória quem apresenta serviço digno sem esperar nenhum tipo de recompensa ou reconhecimento. Só sai da Terra para os mundos felizes ou para os planos da pura luz, aqueles que operarem dignamente na freqüência do amor e dos ditames superiores.
E que ninguém se engane: não há como enganar as leis de causa e efeito!
A cada um segundo a abertura e vibração de suas asas!”

Ele explicou os princípios herméticos da maneira mais simples, sua didática era perfeita. Ele trazia o conhecimento das estrelas diretamente ao coração dos homens.
Em sete conceitos fundamentais ele resumiu a ciência estelar:
I-                   Princípio de Mentalísmo
II-                 Princípio de Correspondência
III-              Princípio de Vibração
IV-              Princípio de Polaridade
V-                 Princípio de Ritmo
VI-              Princípio de Causa e Efeito
VII-            Princípio de Gênero

O sábio das estrelas ensinou essas leis herméticas para diversas gerações de iniciados que chegavam de vários lugares do mundo antigo para beberem na fonte de sua sabedoria.
Dotado da divina percepção, ele abria portais interdimensionais e observava espiritualmente os tempos futuros.
Em uma dessas vezes, ele viu alguém escrevendo em um estranho aparelho dotado de uma tela clara. Acima dessa pessoa, havia um raio de luz branca incidindo diretamente em seu chacra coronário. Ao seu lado, um espírito de porte real, austero, projetando um raio de luz azul marinho brilhante de seu chacra frontal ao chacra frontal do rapaz que escrevia.
Vendo aquela cena futura, ele riu. Pois, sabia que o texto era sobre ele. Sabia que os ensinamentos estelares passariam secretamente, de geração, até o ponto de serem compreendidos exotericamente** pelas pessoas de vários níveis e procedências, até o ponto de serem veículados por aparelhos estranhos em suas próprias casas.

O sábio refletiu sobre aquela visão. Pensou:

“Será que as gerações futuras perceberão suas  asas vibrando ao tomarem ciência dos princípios herméticos?

Serão impulsionadas pelos ventos da maturidade?

Sentirão o toque do infinito em seus corações e mentes?

Serão serenas em suas pesquisas espirituais?

Estarão munidas da devida paciência? Serão fortes para enfrentarem seus medos e bloqueios de frente, como desbravadores espirituais das fronteiras dimensionais?

Estarão embuídos de real valor em seus estudos?

Serão pessoas conscientes de que são estrelas do Todo viajando pelas vidas em corpos adaptados às suas necessidades de aprendizado e compreensão?

Terão certeza da própria imortalidade?

Serão pessoas lúcidas, amorosas, alegres, sensatas, responsáveis e equânimes em seus propósitos?

Singrarão os céus de Athor como anjos fora de seus corpos carnais?

Viajarão concientemente para fora da Terra, rumo aos planos extrafísicos elevados para outros  aprendizados, enquanto seus corpos dormem?

Agradecerão ao Supremo Comandante da vida as oportunidades de ascensão que cada experiência humana oferece?

Perceberão a União?”

Terminada sua missão nas terras quentes do Antigo Egito, o sábio ascendeu às esferas superiores, além dos fugazes brilhos terrenos. Parecia um anjo, mas era apenas alguém conectado à Consciência Cósmica. Era apenas um ser realizado nas artes espirituais.
Não era como muitos iniciados de hoje, cheios de graus iniciáticos misturados com arrogância e egoísmo exacerbado. Aquele homem-anjo-estelar era simples consciência e amor, sempre de bom humor, pleno de esperanças no futuro dos homens, da Terra e de outros orbes. Seus ensinamentos estão marcados indelevelmente na pele espiritual do planeta e no coração dos iniciados responsáveis de todos os tempos.

Esse sábio das estrelas foi conhecido por diversos nomes ao longo da História: Toth no Egito; Hermes na Grécia; Mercúrio em Roma; Henoc para os judeus; Mensageiro de Osíris para os iniciados; Hermes Trimegisto (Trimegistus, Trimegistro), o Três Vezes Grande! ¹
                                                                       

1-Texto nº 235,do Instituto de pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas

·        *Athor: A Deusa da noite na cosmogonia egípcia.
·         ** Exotérico: Aberto; explicíto. Não confundir com Esotérico; fechado, secreto, hermético.





  Princípios Herméticos

Princípio de Mentalismo



“ O Todo é Mente; o Universo é Mental.”

 

Essência: Toda criatura e toda criação faz parte da Mente Divina.

Mensagem: Como seres físicos, carregamos a genética de nossos antepassados; como criaturas, carregamos a genética do nosso Criador.
Direcionamento: nossas mentes participam da mente criadora, que possui conhecimento e potencialidade plenos.




II-   Principio de Correspondência

          
“ O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima.”

Essência: Todo ser vive e participa de várias dimensões de espaço e tempo, tendo realidades no microcosmo e no macrocosmo.
Mensagem: A energia e a força mental, são capazes de captar e resgatar informações de espaço e tempo sempiternos e plenos.
Direcionamento: Nós participamos naturalmente do macrocosmo, podendo atuar e captar energias, mensagens e imagens do presente, do passado, e do futuro, bem como de um espaço distante do nosso. Este processo em que o microcosmo contém o macrocosmo é provado através do processo do DNA.

III-      Princípio de Vibração

 

“ Nada está parado; tudo se move; tudo vibra.”

 

Essência: Toda matéria é dotada de movimento e vibrações.

Mensagem: Vivemos num Universo de vibrações, energias e mensagens. Todo espaço guarda vibrações das situações que passaram por ele e nossa mente capta cenários invisíveis através das ondas vibratórias.

Direcionamento: O Criador nos dá mais esta capacidade para nos auxiliar nas decisões  e escolhas, para que possamos participar dos fatos e das energias do presente, do passado, e do futuro através da vibração.

 

 

IV-             Princípio da Polaridade

 

“Tudo é Duplo; tudo tem pólos; tudo tem seu oposto; o igual e o desigual são a mesma coisa; os opostos são idênticos em natureza, mas são diferentes em grau; os extremos se tocam; todas as verdades são meias- verdades; todos os paradoxos podem ser reconciliados”.


Essência: Todo oposto complementa e se completa com seu oposto.
Mensagem: As realizações só se concretizam quando os opostos se unem . Agir no equilíbrio pleno é a força real da ação.
Direcionamento: A energia negativa(-) é tão “boa” ou “má” quanto a energia positiva(+).
Tudo que vem de energia não é estático nem constante porque não tem limites.
A eletricidade é o resultado da união de dois opostos. A ação plena é a conciliação e o conhecimento das duas verdades.


Princípio de Ritmo


“ Tudo tem fluxo e refluxo; tudo tem suas marés; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação.”

Essência: Tudo que se movimenta se alterna e participa de mudanças.
Mensagem: O Universo das energias é cíclico e mutável.
Quando trabalhamos com energias e vibrações, a lógica e a ação sofrem influências contínuas, que exigem reciclagem e atualizações constantes para a finalização de um ciclo.
Direcionamento: As coisas estão sempre em constante movimento, um ciclo sempre é diferente do outro, mesmo participando do mesmo caminho e das mesmas etapas. A renovação faz parte da natureza e a ação realizadora está no saber dar, receber, reciclar, conciliar, neutralizar, dominar e atuar com os diferentes ritmos do fluxo e refluxo dos ciclos da vida.


Princípio do Gênero


“ O gênero está em tudo; tudo tem o seu princípio masculino e o seu princípio feminino; o gênero se manifesta em todos os planos.”

Essência: A Criação só se concretiza com a união do receptivo e do projetivo.
Mensagem: Toda criatura é composta pelo elemento masculino e pelo elemento feminino.
A negação de um deles altera a essência do ser.
Direcionamento: Tudo e todos têm seu lado feminino e masculino. É assim que o Universo é formado. Masculino possui feminino e vice-versa. O termo chinês yin – yang considera essa idéia a base para o equilíbrio, tanto em sua caracteristica criativa como objetiva. O nosso anima(poder feminino)  e o animus (poder masculino) devem estar sempre em harmonia.
Obs.: A essência não entra na esfera de opção sexual. A essência se refere à constituição total do ser: físico, mental, emocional e energético.


VII- Princípio da Causa e do Efeito

“Toda Causa tem seu Efeito, todo Efeito tem sua Causa; tudo acontece de acordo com a Lei; o Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; há muitos planos de causalidade, porém nada escapa à Lei.”

Essência: Nada no mundo acontece por acaso, tudo tem sua causa, e essa Causa é o Efeito de outra Causa, e assim por diante, é uma cadeia infinita de Causas e Consequências.
Mensagem: Todas as energias lançadas no Universo entram em um ciclo de energias, provocando um efeito em cadeia. Para realizarmos qualquer previsão ou projeção energética, temos que ter o perfeito domínio da reação que causará no fluxo, para obtermos o efeito desejado dentro da esfera de probabilidades.
Direcionamento: Toda ação praticada em nossas vidas , ou na vida de outras pessoas, com a intenção de alterar o fluxo natural das coisas, deve ser cuidadosamente estudada, compreendida e dosada, para que as causas e os efeitos não anulem, alterem ou modifiquem a sua essência.


Ao tomarmos conhecimento destas Leis ou Princípios , e aprendermos a reconhece-las, no fluxo da nossa vida, entenderemos bem mais fácil, que a verdadeira Transformação Mental, só ocorre, quando dominar-mos a Arte da Atenção, por meio da Vontade.
Se realmente queremos mudar o que estamos vivendo, ou nosso estado Mental, basta mudarmos a nossa Vibração, passando para um estado de Vibração mais agradável.
Caso não saiba como alterar este estado de vibração, comece colocando em pratica o Princípio de Polaridade, e concentre-se sobre o polo oposto que queira alterar.

Exemplo- Se for possuído pelo Medo (lembra-se da sua listinha?) não perca tempo tratando de destruir o medo, mas cultive imediatamente a qualidade de Coragem, e o Medo desaparecerá.

Para destruir uma qualidade negativa, concentre-se no Pólo Positivo. Pela mudança da sua Polaridade, poderá dominar os seus defeitos, mudar os seus estados mentais, refazer suas disposições e formar o seu Caráter.

Sabemos que nada é fácil, mas para alcançarmos o nosso verdadeiro objetivo, o de entendermos melhor a nós mesmos, temos que viabilizar para nós o melhor caminho.
E este caminho é o que nos possibilita  sermos aquilo que realmente almejamos que  um dia fôssemos, ou melhor, que um dia seríamos.
Como já foi dito, os ciclos da Vida são uma constante, e sem eles não há crescimento, fazem parte do Princípio do Ritmo, que tanto se manifesta no Plano Mental, quanto no Físico.
 Imaginem que temos um pêndulo mental, cujo movimento vai da direita para a esquerda, de um extremo ao outro, nos levando a ter uma sucessão de sensações e sentimentos, mexendo com as nossas emoções, e basicamente, nos deixando totalmente instáveis.
Como obter um controle em tal situação, sem dor e sem sofrimento,  se a todo momento estamos propensos a altos e baixos?
A resposta para esta pergunta, nada mais é que NEUTRALIZAÇÃO.
 Só conseguiremos  dominar em parte a ação do ritmo, conscientemente, se usarmos a Lei da Neutralização.
E não se assustem , vocês não compraram um livro de direito por engano, onde terão que  estudar leis e decretos.
Tudo na vida  está dentro de Leis e na mais perfeita Ordem que rege o Universo.
Vou dar um exemplo:
 Quando estamos passando por uma emoção muito negativa, só conseguiremos neutralizar o Ritmo que nos leva ao extremo de uma sensação a outra, se mantivermos a nossa consciência num Plano Superior, elevando-se mentalmente, e deixando que as energias oriundas do Plano Inferior passem sem que sejamos atingidos.

Na Vida nada escapa do Princípio da Causa e Efeito, mas existem vários Planos de Causalidade. Pode-se empregar as leis do plano superior para vencer as leis do inferior.
Pela compreensão das práticas da Polarização, quando tomarmos consciência do nosso poder e força, e nos tornarmos aptos a dominar  nossas condições e emoções, nos  elevaremos  a um plano superior de Causalidade e assim contrabalançaremos as leis dos planos inferiores.
Vou dar outro exemplo:

As massas populares são impulsionadas, obedientes aos seus guias, às vontades e desejos dos outros mais fortes que elas, aos efeitos das tendências hereditárias, às sugestões dos que a rodeiam, e a outras coisas exteriores, que tendem a movê-las no tabuleiro de xadrez da vida como simples peões.
 Elevando-se sobre estas causas influentes, conseguiremos alcançar um plano elevado de ação mental, e dominando as nossas condições, nossos impulsos e nossas sensações, criaremos para nós novos caracteres, qualidades e poderes, pelos quais dominaremos os que ordinariamente nos rodeiam, e assim nos tornaremos praticamente jogadores em vez de peões. Tornar-nos-emos pessoas que ajudam inteligentemente a ganhar o jogo da vida, sem sermos movidas no nosso caminho, e caminhando com mais força e vontade. Empregam o princípio da Causa e Efeito sem serem empregados por este.
Sem dúvida que ainda as mais elevadas  estão sujeitas ao princípio como ele se manifesta nos planos superiores, mas nos planos inferiores , são Senhores em vez de escravos.


“ Os Sábios servem no plano superior, mas governam no inferior.  Obedecem às leis que vêm de cima deles, mas no seu próprio plano e nos inferiores a eles, governam e dão ordens.
E assim fazendo formam uma parte do Princípio, sem se oporem a este. O Sábio concorda com a Lei, e compreendendo o seu movimento, ele opera em vez de ser cego escravo.
 Do mesmo modo que o hábil nadador volta o seu caminho e faz este caminho, conforme a sua vontade, sem ser como a barca que é levada para cá e para lá: assim é o sábio em comparação do homem ordinário; e, contudo, o nadador e a barca, o sábio e o ignorante, estão sujeitos à Lei. Aquele que compreende isto está bem no caminho do Domínio.”
                                                                          O Caibalion